O professor do meu filho reclamou que ele não larga o celular em sala de aula. E agora?

17/11/2015 10:41

Ao se tratar da educação de uma criança ou adolescente, temos sempre que manter em mente que toda liberdade deve ser conquistada conforme ele/ela vai demonstrando estar preparado para tal, e que cada indivíduo tem seu ritmo próprio de amadurecimento. Sendo assim, é preciso avaliar a idade e o grau de maturidade do seu filho, e o que exatamente vem ocorrendo na sala de aula que causou a reclamação do professor. 
Por um lado, pesquisas vêm demonstrando que mesmo os alunos mais inteligentes não são capazes de pensar em duas coisas ao mesmo tempo (estudantes que participaram do estudo, apesar de sentirem que estavam fazendo um bom trabalho, apresentaram performance mais demorada, com mais erros e com menos retenção de informação do que os que se concentraram apenas em uma tarefa- http://www.psychologicalscience.org/media/releases/2004/pr040605.cfm). Por outro, cada vez mais as escolas terão que preparar os alunos para um "mundo digital”. Como ajudá-los a se tornarem cidadãos "digitalmente responsáveis” se não incorporarmos o uso dessas tecnologias na sala de aula? ( http://ww2.kqed.org/mindshift/2012/04/06/in-the-digital-age-welcoming-cell-phones-in-the-class/ ). 
A melhor forma de lidar com esse dilema é dialogar com seu filho e entender o quanto ele compreende o que está em jogo. Caso ainda não demonstre maturidade o suficiente, utilizando-se de argumentos como “porque mundo faz o mesmo”, explique que este argumento não é razoável. Caso ele compreenda, mesmo que não completamente, mas já esteja numa idade em que deve aprender a lidar com mais responsabilidades, negocie com ele de forma a estipular regras e a fazê-lo compreender que terá que lidar com as consequências de seus atos, mesmo que elas possam significar repetir um ano letivo.

(Traduzido por Emmalie Ting e adaptado dehttp://cmch.tv/what-can-i-do-to-stop-students-from-texting-in-class/

Voltar