Quais são as regras invisíveis das adolescentes nas redes sociais?

18/01/2017 08:45

Colocar fotos e mensagens nas redes sociais é o que os adolescentes fazem o dia todo e todos os dias, via Instagram, Snapschat, Facebook e outr@s aplicativos na Internet

Mas existem algumas regras, mesmo que invisíveis e que são compartilhadas entre eles mesmos e as curtidas podem significar momentos de prazer e muito além do que amizade e fazer parte do grupo!

Curtir fotos, imagens ou mensagens podem significar recompensa nos hemisférios cerebrais e do mesmo valor que um ato sexual ou ganhar dinheiro. E por isso mesmo é importante ter controle sobre os seus impulsos e tomar cuidados para não se tornar vítima deste tipo de comportamento e do qual muitas vezes irão se arrepender mais tarde.

Transmitir mensagens humilhantes, colocar fotos "sexy" e sensuais ou compartilhar fotos ou mensagens de outras pessoas pode se tornar não só um erro, mas um crime no mundo digital e real, e os adolescentes estão percebendo isso, nas suas curtidas!

Estudo realizado em Los Angeles nos Estados Unidos e publicado na revista Psychology Sciences e com artigo a respeito publicado no New York Times de 5 de Janeiro de 2017 por Devorah Heitner demonstrou através dos exames de ressonância magnética funcional cerebral , FMRI, que a influencia e a pressão do grupo é importante pois adolescentes gostavam mais de fotos com mais curtidas do que fotos neutras, ativando áreas do sistema de recompensa cerebral, cognição, imitação (neurônios-espelho) e atenção.

Daí se ressalta a importância da pressão de grupo em relação às redes de amizade mas também ao marketing de produtos ou de comportamentos, inclusive a respeito do fumo (cigarros) ou de beber (bebidas alcoólicas) ou comer (compartilhamento de dietas "mágicas") entre adolescentes. Pais precisam saber que as curtidas podem significar também mensagens invisíveis entre adolescentes.

Fontes: Sherman LE, Payton AA, Hernandez LM, Greenfield PM, Dapretto, M Psychol Sciences 2016 Jul 27 97) 1027-35.
artigo publicado por Devorah Heitner, NY Times, Jan 5, 2017. 

Voltar